Jornadas Antonio Negri

Dias 7 – 8 – 9 de junho de 2010
Prédio de Filosofia e Ciências Sociais – FFLCH-USP
Cidade Universitária – São Paulo/SP

SEGUNDA-FEIRA (DIA 7)
Sala 8 (térreo)

10:00 – 11:30
Espectros de Marx: Zizek, Negri, Derrida
Óscar R. de Dios (PNPD-Capes/UnB)
Estado, Revolução, Constituição – Negri, leitor de Lênin
Adriano Pilatti (professor do Departamento de Direito da PUC-Rio)
Um diálogo possível: Revolução e democracia em Rosa Luxemburg e Antonio Negri
Tatiana Rotolo (doutoranda em Ciência Política, UnB)

14:00 – 15:00
Revolta e revolução em 1969 – segundo Furio Jesi
Anderson Gonçalves (pós-doutorando em Filosofia, UnB)
Negri e seus camaradas: a Itália nos anos da luta armada
Alex Calheiros (professor do Departamento de Filosofia da UnB)

15:30 – 17:00
Do poder soberano ao Imperial
Pedro Sobrino Laureano (mestrando em Psicologia, PUC-Rio)
Lutar hoje — por quê? como? contra quem? pelo quê?
Homero Santiago
A política a partir do Sul
Jorge Gomes de Souza Chaloub (doutorando em Ciência Política, IUPERJ)

17:30 – 18:30
Exibição de Antonio Negri a revolt that never ends
Direção de Alexandra Weltz e Andreas Pichler
(O documentário reconstitui o percurso de Negri; original em inglês, vários depoimentos em italiano com legendas em inglês)

19:30 – 20:30
“Cordel dos Sem”: a multidão nas metrópoles brasileiras
Barbara Peccei Szaniecki (doutora em Artes e Design, PUC-Rio)
Figuras catastróficas e potenciais da nova centralidade das periferias: interrogando a soberania global e a multidão como categorias “ontosociológicas”, na perspectiva da radicalização democrática
Pedro Cláudio Cunca Bocayuva (professor do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio)

TERÇA-FEIRA (DIA 8 )
Sala 8 (térreo)
10:00 – 11:30
Educação, certeza habitual e reiteração de idéias sem impressão: uma crítica moderna ao prejuízo da educação
Antonio Herci Ferreira Júnior (bacharel e licenciando em Filosofia, USP)
O tabuleiro epistemológico do currículo pós-moderno: refletindo currículo e conhecimento na contemporaneidade numa perspectiva lyotardiana
Marcos Cajaíba Mendonça (mestre em Educação e Contemporaneidade, bacharel em filosofia, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Baiano)
O “Príncipe Eletrônico”: entre os mitos, a linguagem e os regimes de poder
Vladimir L. Santafé (mestrando na Escola de Comunicação da UFRJ)

14:00 – 15:00
Alegria e mediação na democracia de Negri
Marcos Ferreira de Paula (professor do Departamento de Saúde, Educação e Trabalho da Unifesp-Santos)
A descoberta da multitudo: Negri leitor de Espinosa
Marilena Chaui (professora do Departamento de Filosofia, USP)

15:30 – 17:00
Sobre a constituição do Império, a Paz Perpétua e o Estado Cosmopolita Universal
Gerardo Silva (professor da UFABC; membro da rede Universidade Nômade), Leonora Corsini (pós-doutoranda do IBICT, Universidade Nômade)
Rousseau no Poder constituinte de Negri
Ricardo Monteagudo (professor do Departamento de Filosofia da Unesp)
O constitucionalismo e o conceito de constituição em Antonio Negri
Francisco de Guimaraens (professor do Departamento de Direito da PUC-Rio)

17:30 – 18:30
Exibição de Il sol dell’avvenire
Direção de Giovanni Fasanella e Gianfranco Pannone
(O documentário discute a fundação das Brigadas Vermelhas e reconstitui o clima da época; original em italiano, legendas em inglês)

19:30 – 20:30
Um ponto de vista brasileiro sobre Império
Giuseppe Mario Cocco (professor da Faculdade de Serviço Social da UFRJ; membro da rede Universidade Nômade)

QUARTA-FEIRA (DIA 9)
Salas 24 e 119 (1o andar)
10:00 – 11:30 (sala 24)
Governabilidade e Governamentalidade – A ‘arte’ de não governar a si próprio
José Eduardo Pimentel Filho (mestrando em Filosofia, membro do Laboratório de Filosofia Contemporânea da UFRJ)
Diferença, Ética e constituição dos direitos: diálogo entre a teoria política feminista, a filosofia da diferença e o pensamento de Antonio Negri
Vanessa Santos do Canto (advogada, mestre em Serviço Social pela PUC-Rio)
Negri e Deleuze: uma articulação necessária entre micro e macropolítica
Tatiana Roque (professora do Instituto de Matemática da UFRJ)

14:00 – 15:30 (sala 119)
Oposição, transformação: Negri e a herança maquiaveliana
Douglas Ferreira Barros (professor da PUC-Campinas)
El conflicto de las interpretaciones: lecturas de Maquiavelo
Mariana Larison (pós-doutoranda em Filosofia, USP)
Poder constituinte: devir, desmedida e democracia absoluta
Ana Luiza Saramago Stern (doutoranda em Direito Constitucional, PUC-Rio)

16:00 – 17:30 (sala 24)
Do trabalho explorado à ressurreição da carne – potência e criação: Antonio Negri e o Livro de Jó
Maurício Rocha (professor da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, UERJ; coordenador do Círculo de leitura Spinoza & a filosofia do Rio de Janeiro)
Sobre o Estado de Bem-Estar Social: Warfare ou “Pré-Império”?
Silvio Ricardo Gomes Carneiro (doutorando em Filosofia, USP)
Negri e o Marxismo
Alexandre Mendes (Núcleo de Estudos Constitucionais, PUC-Rio)

18:00 – 19:00 (sala 24)
A liberdade de expressão muito além da palavra
Rodrigo Gueron (professor do Instituto de Artes da UERJ)
Direito e violência em Negri
Fernando Dias Andrade (professor do Departamento de Filosofia da Unifesp-Guarulhos)

Organização:
Grupo de estudos espinosanos da USP
Pós-Graduação do Departamento de Direito da PUC-Rio/Núcleo de Estudos Constitucionais

Comissão organizadora:
Ana Luisa Saramago Stern
Douglas Ferreira Barros
Francisco de Guimaraens
Homero Santiago
Maurício Rocha

Anúncios
Esse post foi publicado em Eventos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s