Pesquisa aponta desrespeito dos direitos humanos nas empresas

Antonio Gaspar

A pesquisa Direitos Humanos nas Empresas mostra que o desrespeito a esses direitos ainda é elevado na sociedade brasileira. 43% dos trabalhadores entrevistados declararam que, no último ano, nas empresas em que trabalham, ocorreram situações moderadas – aquelas relacionadas a respeito, igualdade – e graves – assédio sexual, agressões verbais – de desrespeito aos direitos humanos. A pesquisa realizada pelo Instituto Norberto Bobbio, com consultoria da empresa Plano CDE, foi apresentada durante evento na BM&FBovespa, em São Paulo.

De uma maneira geral, o setor pior avaliado foi o de serviços não-financeiros (educação, saúde, telemarketing, entre outros), seguido pelo de comércio e do sistema financeiro. A indústria foi o segmento com melhor avaliação. Os pesquisadores que fizeram o estudo entrevistaram 800 funcionários de empresas com mais de 50 funcionários no Rio de Janeiro e em São Paulo no período de junho a julho deste ano.

O levantamento mostra que de cada três entrevistados um declara ter experimentado algum tipo de violação grave de seus direitos nos últimos dez anos.  Dois terços disseram que seus amigos e parentes sofreram violações leves ou graves de seus direitos no mesmo período.

De acordo com os autores do estudo, parece persistir um ambiente relativamente generalizado de desconforto e mal-estar nos locais de trabalho do Rio e São Paulo. 38% declararam que as opiniões dos funcionários não são levadas em conta pelas empresas, 30% disseram que alguns chefes tratam os funcionários de maneira desrespeitosa e 21% afirmaram que alguns funcionários chegam a ser maltratados. Os que mais se queixam de tratamento desigual ou discriminatório são mulheres, negros e pessoas com renda inferior a R$ 3 mil.

O diretor-presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, declarou, na abertura do evento, que a bolsa tem procurado cumprir o seu papel de indutor de gestão corporativa. Citou a importância da popularização dos mercados e a criação do novo mercado, como indicador da disseminação das melhores práticas. “Estamos engajados como Instituto Norberto Bobbio na indução do respeito aos direitos humanos nas empresas”, afirmou.

O presidente do Instituto Norberto Bobbio, Raymundo Magliano Filho, elogiou a política desempenhada pela BM&FBovespa . “Este certamente é o primeiro evento sobre direitos humanos no mundo promovido por uma bolsa. Certamente a BM&FBovespa é a primeira no mundo em capital humano” afirmou o dirigente. Magliano disse que o objetivo do instituto é difundir os conceitos sobre direitos humanos.

Para mostra que a boa política começa em casa, Magliano lembrou que sua corretora iniciou há uma semana um curso sobre direitos humanos para funcionários. “Nosso objetivo é, no futuro, fazer cursos sobre esse assunto para empresas. Não adianta ter normas ou regras escritas. É preciso disseminar essa cultura, colocá-la para nossos gestores”, afirmou.

Fonte: http://sociedadesustentavel.terra.com.br/integra.php?id=1859

Anúncios
Esse post foi publicado em Filosofia do Direito: Temas da filosofia de Bobbio, Instituto Bobbio. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Pesquisa aponta desrespeito dos direitos humanos nas empresas

  1. rafael disse:

    essa pergunta foi interessante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s