Documentário mostra a vida de prostitutas em 3 diferentes culturas

por Mistura Urbana

WhoresGlory18

3 países, 3 línguas, 3 contextos diferentes, mas uma mesma realidade: Whore’s Glory (A Glória das Prostitutas, em português) é um documentário perturbador sobre a prostituição mundial e os seus submundos. Realizado por Michael Glawogger, ele mostra com frieza que não é por não vermos que os dramas de mulheres como essas deixam de existir.

Filmado em Tailândia, Bangladesh e México, o documentário chama a atenção não só pelo tema como pelas incríveis imagens e pela entrada em perigosos lugares de prostituição nos 3 países. A música de PJ Harvey, CocoRosie e Anthony and the Johnsons dá o dramatismo final.

Whore’s Glory começa na Tailândia, país que explora o turismo sexual abertamente, com ruas cheias de vitrines com mulheres semi-nuas tentando atrair quem passa por lá. Algumas vivem se exibindo numa espécie de “bordel-aquário”, para que os clientes possam fazer suas escolhas.

Em Bangladesh a situação não é melhor e as mulheres se prostituem para evitar que os homens saiam às ruas estuprando tudo o que se mexe. Se sacrificam pelo dinheiro e vivem em quartos sujos, sem condições mínimas de uma vida digna, criando filhas com o mesmo destino, traçado já quando nascem.

Por fim, o México, onde as mulheres rezam antes de iniciar sua atividade laboral, em lugares onde a violência, exploração e o crack ditam leis. Pobreza, religiosidade e discriminação, numa região bem próxima dos Estados Unidos, aproximam assustadoramente esta realidade da brasileira, com contornos mais ocidentais que os outros dois exemplos.

O documentário venceu o Prêmio Especial do Júri para Melhor Longa-Metragem no Festival de Veneza em 2011, e em 2012 ganhou por Melhor Documentário e Melhor Fotografia no Austrian Film Awards. No Brasil, foi exibido durante a 36ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

 O filme é um alerta imperdível e uma proposta de debate sobre a condição feminina pelo mundo fora, colocando o espectador numa posição de voyeur por vezes bem desconfortável, mas emocionante. Abaixo deixamos o trailer. Para assistir ao filme online, clique aqui.

Anúncios
Esse post foi publicado em Direitos Humanos, Direitos Humanos: Minorias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s